Equilíbrio nos treinos

Por: Aulus Sellmer

Mais um ano passou voando, ou correndo. Nesta última coluna de 2021 vou esmiuçar uma questão que parece simples, porém uma maratonista de Cuiabá, Mato Grosso, tornou-a mais complexa. Será que, nós corredores de rua, devemos optar sempre pelo asfalto? Devido ao calor intenso em Cuiabá, essa maratonista realiza todos os seus treinos na esteira. Pode acreditar. Longos com mais de 34 km ou quase 4 horas de treino na esteira. Fiquei impressionado com sua disposição e determinação, pois para mim e muitos corredores seria impossível ficar tanto tempo em cima da esteira para completar uma programação de treinos para uma maratona. Nós corredores de rua temos um certo receio da esteira, evitando-a ao máximo. Até mesmo um dia de calor ou de chuva não são suficientes para optarmos pela máquina. Calçamos nosso bom e novo tênis e partimos para o treino. Porém, entre uma engrenagem e outra a esteira guarda seus benefícios. Para os iniciantes, a esteira proporciona um ambiente seguro e controlado bem como para quem está voltando aos treinos após uma lesão ou ganho exagerado de peso. Geralmente, ela oferece menos impacto do que na rua, diminuindo o risco de lesão, determina um ritmo certo para cada distância e, principalmente, a segurança para se manter nele. Com isso, a esteira desenvolve noção de ritmo e estimula o corredor a sincronizar braços e pernas distribuindo as passadas de maneira uniforme até uma determinada velocidade. Outra vantagem importante é que na esteira fica mais fácil corrigir erros de postura através de um espelho. Para corredores mais experientes, parece até bobo, mas de tempos em tempos é importante rever seus movimentos. Algum tipo de dor que esteja sentindo pode ser resolvido simplesmente ajustando algum dos seus movimentos. Para quem prefere a rua, mas às vezes correr na esteira é inevitável, incliná-la em 1% ou 2% praticamente aproximam os dois cenários do ponto de vista de gasto calórico. Na rua precisamos empurrar o chão para vencer a inércia e a resistência do ar e mover o nosso corpo à frente, enquanto na esteira a máquina move-se sob os nossos pés, e tudo o que temos que fazer é nos manter em seu centro. Com isso, a intensidade e a aplicação de força são maiores na rua do que na esteira. Esse “truque” da inclinação minimiza essa diferença, como também ter um ventilador na frente dela. Mas, claro, há pontos de atenção ao se treinar na esteira. Devemos levar em consideração a eficiência mecânica, pois vários estudos demonstram a relação entre o grau de economia de energia e a velocidade. Ou seja, quanto maior a velocidade que você corre em uma esteira menos eficiente sua corrida será. Além disso, a manutenção da sua postura e o nível de força aplicada em cada passada são fatores importantes para garantir que você permaneça eficiente até os instantes finais de seu treino. Em números, a diferença entre uma corrida eficaz e não eficaz varia de corredor para corredor. Ao percorrer uma distância de 5 km em velocidade mais confortáveis é maior a probabilidade de concluir um treino eficiente. Portanto, em velocidades maiores, na mesma distância de 5 km, seu corpo irá desperdiçar mais energia. Pois além de correr rápido temos que nos concentrar para não cair da esteira. Como podemos ver, o tempo em que se completa a mesma distância não é fator determinante em termos de eficácia. O caso da maratonista de Cuiabá é uma exceção. Ela consegue manter sua programação de treinos na esteira, extraindo seus benefícios, além de ter uma determinação fora do comum, não esquecendo que sempre vai precisar treinar mais para conseguir uma performance similar no asfalto. Porém, ainda assim, minha recomendação é realizar os treinos mais longos na rua. O treino no asfalto também é evitar um buraco, mudança de piso, lidar com curvas, com as intempéries climáticas, reconhecer os sons, perceber as pessoas e também a diferença de performances entre correr na esteira e na rua. Enfim, como sempre digo, devemos sempre buscar um equilíbrio e a corrida, com certeza, é uma ótima caminho para essa descoberta. Para os amantes do asfalto, reconsidere em alguns treinos o uso da esteira. Da mesma maneira, aos que preferem a esteira, que tal se aventurar em praças, parques e provas de rua? Tenho certeza que será bem melhor. Fica a sugestão para 2022. Um feliz Natal e Ano Novo para todos, que tem a corrida como um grande aliado.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo